Álbum de fotografia: Um baú do tesouro em forma de folhas

L&V 020

Por Robson Santiago

Para um belo álbum, não bastam apenas fotos “tecnicamente corretas”, a fotografia é um registro e há quem consiga fazer deste registro verdadeiras obras de arte. Pra mim a fotografia é isso, algo que deve ir além da técnica. A fotografia deve  conter e expressar emoção e sobre tudo deve ter “voz própria”, esta é a maneira como eu, fotógrafo, vejo a fotografia.

Hoje com o avanço da tecnologia ficamos imaginando o que está por vir, no que se refere a imagens digitais. A tecnologia nos proporcionou a praticidade dos arquivos digitais, podendo colocar nossas fotos nas redes sociais, guardá-las num DVD, que se perde nas gavetas, ou no HD, com risco de serem perdidos. Criou-se o porta-retratos digital, além dos álbuns no tablet, e etc…  Enfim, um dia o VHS foi substituído pelo DVD, que está sendo substituído pelo Blue-ray,  e em breve não saberemos o que vem por ai. Com a fotografia não é diferente, mas por mais que o tempo passe o “bom e velho álbum” impresso nunca sai de moda! Na verdade, não é nem questão de moda, é questão de podermos tocá-lo, senti-lo, talvez seja este o diferencial que o mantém vivo por todo este tempo.

Mas o que faz um álbum especial? São somente as fotos “tecnicamente corretas”?  Não! O segredo de um álbum não termina no clique do fotógrafo, vai além…  O álbum é a assinatura de um fotógrafo. O diagramador deve estar em sintonia com o fotógrafo e juntos entregar ao cliente a história de sua vida contada de maneira clara, objetiva, através de um layout clean, minimalista, que mesmo assim consiga evidenciar o olhar e o todo o trabalho do fotógrafo.

Mas qual a importância de um álbum “Clean”? Como tudo na vida tem uma “identidade”ou algo que o vincule com um período, um tempo, o “clean”tem o objetivo de torna-lo “atemporal”, ou seja, algo que passe uma imagem de ser “datado”ou que pertence a “tal época”, além de dar toda a atenção ao verdadeiro motivo do álbum: as fotos.

Como fotógrafo, ou como um “contador de histórias através de imagens”, nosso objetivo é ser fiel ao que retratamos, a quem somos, e ao que queremos mostrar, seja no estilo de fotografar, na escolha do álbum em que estas fotos estarão.  A identidade do fotógrafo, o estilo, deve estar em sintonia com o diagramador/designer de álbum, e isso deve ser claro em todo trabalho, pois é o que garante a assinatura do trabalho e torna forte e permanente a marca do fotografo.

 

Ao escolher o designer de álbum/diagramador de álbum, procure conhecer os trabalhos, influências e acima de tudo procure perceber se o estilo do designer tem a ver com seu estilo. É de grande importância ter este profissional ao lado, primeiro porque posso confiar no resultado final, confiar o trabalho para uma pessoa que estudou e está preparada para colocar o fruto do nosso trabalho em um álbum de maneira que as fotos possam ser  vistas e valorizadas, me proporcionando mais tempo para fazer o que sei: fotografar.

L&G 08

Fotos de Robson Santiago
Design de Andréia Santiago

About these ads